2 Técnicas de Estudo para Concurso que Irão Mudar Sua Vida!

Vida de concurseiro não é fácil. São muitas matérias para estudar, horas diárias de dedicação e uma enorme pressão pelo resultado final, que é a aprovação. Por isso, usar técnicas de estudo para concurso que sejam eficientes pode ser o diferencial para o seu sucesso.

Nós sabemos que armazenar no cérebro todo conteúdo exigido nos principais concursos é uma tarefa muito difícil, digna de Hércules.

Vejo muito concurseiro estudar com concentração por várias horas, e no dia seguinte esquecer mais da metade do que estudou.

Aposto que pelo menos uma vez isso já aconteceu com você, não é verdade?

Então hoje vou ensinar duas técnicas de estudo para concurso feitas para que você estude qualquer assunto só uma vez!

Além disso, você ainda vai conseguir recuperar até 75% da informação sempre que precisar dela.

Interessado em aprender a fazer isso? Então vamos lá!

O primeiro passo é entender de que maneira nosso cérebro processa informações.

Como Nosso Cérebro Trabalha

Existem dois modos de atuação em nosso cérebro que estão presentes dia a dia de qualquer pessoa, e uma boa técnica de estudo para concurso, para ser verdadeiramente eficiente, deve usar alternar o uso destes dois modos, explorando o que cada um deles tem de melhor.

É importante também explicar que o cérebro nunca está nos dois modos ao mesmo tempo, pois eles agem como se fosse um interruptor. Quando um é ligado, o outro é automaticamente desligado. Estou falando do Modo Focado e do Modo Difuso.

Modo Focado

Técnicas de Estudo para Concurso - Modo Focado

Imagine um piloto de avião em pleno voo. Após uma decolagem tranquila, a aeronave atinge a altitude de cruzeiro, e o piloto automático foi acionado. A partir desse momento, o piloto relaxa na sua cadeira, e passa a conversar de forma descontraída com a tribulação da cabine, talvez até contando algumas piadas novas que aprendeu.

De repente, um alerta sonoro dispara na cabine, fazendo com que a tripulação fique em silêncio e em estado de alerta, tentando identificar a origem do problema.

O piloto, que estava relaxado em sua cadeira, automaticamente adota uma postura mais ereta e seu rosto fica sério, e sua mente está pronta para comandar a equipe e reagir à situação.

Essa mudança do estado de atenção do piloto significa que ele passou seu cérebro para o Modo Focado, que é aquele momento em que estamos totalmente concentrados em alguma atividade específica.

Da mesma forma acontece com os estudos. Quando estamos estudando uma matéria, toda a nossa atenção deve estar direcionada para aquele assunto, e ele deve ser a coisa mais importante da nossa vida durante este tempo, por isso deve ser eliminado qualquer fonte de distração, como tv, internet ou telefone.

As principais estratégias de aprendizado que você provavelmente conhece são usadas durante este estado mental. Recentemente um estudo ranqueou o nível de eficiência destas estratégias.

O Modo Focado é excelente para o cérebro lidar com uma informação nova, porém já é cientificamente comprovado que não conseguimos manter um estado de atenção ideal por um período maior do que 60 minutos.

Após este tempo o cérebro começa a mudar o interruptor para o Modo Difuso, e os níveis de atenção e concentração caem, o que prejudica a compreensão e a retenção do conhecimento.

Modo Difuso

Técnicas de Estudo para Concurso - Modo Difuso

Neste Modo nosso cérebro atua como o piloto automático do avião. Apesar de manter a sua capacidade de processamento, ele não está focado em uma tarefa específica.

E onde isso entra nos estudos? Simples: é no Modo Difuso que as novas informações processadas no Modo Focado serão armazenadas na mente, através da criação de conexões cerebrais (sinapses) entre o novo conhecimento e conhecimentos já existentes no cérebro.

Tudo isso em piloto automático, sem que você esteja sequer consciente que isto está acontecendo.

É como acontece naquelas situações em que você passa horas focado na resolução de um determinado problema sem chegar a uma solução, e então horas depois, durante um banho ou uma caminhada, e às vezes até durante um sonho, quando você não pensava ativamente no problema, a solução surge na sua mente como um passe de mágica.

Thomas Edison, o famoso inventor da lâmpada elétrica, tinha seu próprio método para entrar no Modo Difuso. Após trabalhar por horas (Modo Focado), ele ia para seu escritório, sentava em sua cadeira e fechava os olhos tentando não pensar em nada.

Em sua mão ele segurava algumas esferas de rolamento, que serviam como um despertador. Assim que ele pegasse no sono, as esferas caíam no chão, avisando que era hora de voltar ao trabalho e concluir o experimento, frequentemente com uma nova ideia ou outro ponto de vista sobre o problema.

O Principal Erro dos Estudantes

O grande erro que a maioria dos estudantes comete é estudar usando técnicas de estudo para concurso que usam e abusam do Modo Focado, o que gera um enorme esforço e cansaço mental e consequentemente uma baixa absorção do conteúdo estudado.

No gráfico abaixo você pode ver o percentual de retenção que uma pessoa que estudou por mais de duas horas sem intervalos consegue se lembrar do assunto após 24 horas.

Técnicas de Estudo para Concurso - Mais de 2 Horas

Veja que é uma curva descendente. Quanto mais você estudar sem fazer intervalos, menos você vai aprender. Ou seja, na verdade você está apenas perdendo tempo fazendo isso.

Já para quem estuda por até duas horas sem intervalo, o gráfico passa a ter uma forma diferente. O ponto final está mais baixo que o inicial e mais alto do que o meio.

Técnicas de Estudo para Concursos - até 2hIsso acontece porque nosso cérebro tem uma tendência a armazenar melhor as informações iniciais e finais de um conteúdo, mas ignorar os conteúdos intermediários.

Ainda assim não é eficiente estudar por duas horas seguidas, pois você pode ver que a assimilação final ficou em torno de 50%.

Recentemente uma matéria da Folha de São Paulo deu algumas dicas para quem estuda para concursos, e entre elas está a questão de não estudar por mais de 2 horas

Agora veja no gráfico abaixo o que acontece quando você faz pequenas sessões de estudo intervaladas. A sua retenção permanece a mesma no início e no final, com uma pequena queda no meio do tempo.

Técnicas de Estudo para Concurso - 2 horas com intervalos

Esse é o grande segredo dos estudos. Quanto mais inícios e fins você tiver, mais você se lembrará, e esta é a base da primeira técnica que você vai aprender agora.

Duas Técnicas de Estudo para Concurso Salvadoras

#1 – Técnica Pomodoro

Técnicas de Estudo para Concurso - Pomodoro

Pomodoro significa tomate em italiano. Essa técnica tem esse nome porque foi criada usando um timer de cozinha que tem formato de tomate!

Basicamente a técnica consiste em programar um timer em 25 minutos, onde você deverá estudar no Modo Focado para assimilar melhor o conteúdo, seguido de um timer de 3 minutos, onde você deve virar o interruptor do seu cérebro para o Modo Difuso e permitir que seu cérebro crie as sinapses que vão permitir que o conhecimento seja retido por mais tempo.

Desta forma você terá uma memorização constante ao longo do tempo, e sua mente estará sempre descansada, vai poder estudar por várias horas com aproveitamento máximo.

E por que 25 minutos? Porque este é um número que permite dividir ao meio uma hora de estudos, que é o período base da próxima técnica, potencializando a capacidade de retenção.

É importante explicar que a cada 3 pausas de 3 minutos você deve fazer uma pausa maior, de 11 minutos.

Assim, a cada duas horas de estudo você passará 100 minutos em Modo Focado e 20 minutos em Modo Difuso.

E hoje você não precisa comprar um timer de cozinha, porque existem aplicativos gratuitos para celular que possuem timer. Basta fazer uma busca no GooglePlay ou na AppStore para encontrar um modelo que você goste.

Com essa técnica você pode organizar uma rotina diária de estudos que te permita ter o máximo de aproveitamento do seu tempo.

O ideal é que você dedique ao menos uma hora para cada matéria, pois este é o tempo ideal para iniciar o processo de memorização, como você vai ver a seguir.

#2 – Use o Sistema de Repetições Espaçadas para Reter o Conhecimento por Mais Tempo

Técnicas de Estudo para Concurso - Repetição Espaçada

A melhor maneira de armazenar uma informação na sua mente e fazer com que ela fique disponível por muito tempo é utilizar o sistema de Repetições Espaçadas.

Essa técnica trabalha como princípio que diz que para uma informação ser armazenada na sua memória de longo prazo ela precisa ser processada ao menos 5 vezes pelo seu cérebro.

Só que não adianta, por exemplo, repetir um texto 5 vezes seguidas para ter resultados satisfatórios. Existe um período ideal de distância entre as repetições para que os resultados sejam acima da média:

  1. 10 minutos após estudar por uma hora
  2. 01 dia após a primeira revisão
  3. 01 semana após a segunda revisão
  4. 01 mês após a terceira revisão
  5. 03 a 06 meses após a quarta revisão

Como você já deve ter percebido, cada bloco de uma hora de estudos deve ser agrupado e ter seu próprio cronograma de revisões espaçadas.

Se você estudar 8 horas por dia, então você terá 8 blocos para revisar.

Agora, antes que você diga que não tem tempo para estudar mais cinco vezes tudo que já estudou, calma porque cada revisão não deve demorar mais do que cinco minutos (já vou te mostrar como).

Além disso, veja que os prazos das revisões são cada vez mais espaçados, pois esse espaçamento é o tempo médio que uma informação dura na memória após cada repetição.

Ou seja, a cada nova revisão a informação ficará retida na sua memória por cada vez mais tempo e com menos esforço de repetição!

Se o seu volume de material a ser estudado for muito grande, é recomendável usar técnicas de leitura dinâmica para acelerar o processo.

Como Fazer as Repetições

A cada hora de estudos você deve fazer um resumo do que você acabou de estudar, ou você pode usar a técnica de mapas mentais, que funciona muito bem. Essa é a sua primeira revisão.

Para os outros períodos de repetição (1 dia, 1 semana, 1 mês, 3 meses), você deve primeiro tentar refazer o resumo ou o mapa mental sem consultar o material, e depois comparar o que você fez como o que você tinha feito na revisão anterior, e refazer as anotações se for o caso.

O processo de buscar na memória as informações anteriores é que vai reforçar e fortalecer as sinapses que foram criadas, gravando assim o conteúdo na sua memória de longo prazo.

O ideal é que você tenha um fichário ou pasta onde você possa organizar por data os resumos ou mapas mentais que fez, para diariamente olhar o que precisa ser revisado.

Outra dica importante é fazer a revisão antes de estudar o próximo assunto da matéria, pois geralmente os assuntos estão interligados, e desta forma você vai reforça seu conhecimento anterior e vai compreender melhor o conteúdo novo.

Essas técnicas deixam qualquer concurso mais fácil de passar! E agora eu gostaria de saber a sua opinião: como você estuda hoje em dia? Suas técnicas de estudo para concurso usam o Modo Focado e o Modo Difuso do cérebro ou você está literalmente afundando a cara nos livros o dia inteiro?

 

 

7 comentários em “2 Técnicas de Estudo para Concurso que Irão Mudar Sua Vida!

  • 13 janeiro, 2017 em 0:23
    Permalink

    Afundando a cara nos livros ficando sobrecarregada e nao armazenando quase nada adorei suas dicas vou usar bastante os modo focado e difuso…obg

    Resposta
    • 13 janeiro, 2017 em 1:04
      Permalink

      Que bom que gostou! Conhecer melhor como nosso cérebro funciona sem dúvida é fundamental para aproveitar melhor o tempo que dedicamos aos estudos. 🙂

      Resposta
      • 28 fevereiro, 2017 em 1:51
        Permalink

        eu vou experimentar essa tecnica e obgd pelo bizu tmj

        Resposta
  • 26 janeiro, 2017 em 19:01
    Permalink

    Atualmente estou estudando para um concurso e, sem perceber, estava utilizando o modo difuso.
    Obrigada pelo artigo, estudarei com base nas duas técnicas.

    Resposta
    • 26 janeiro, 2017 em 19:43
      Permalink

      Sim, Luana. O modo difuso é muito importante para o cérebro, mas é preciso “ativá-lo” nos momentos apropriados para otimizar nossos resultados. Bons estudos!

      Resposta
  • 8 maio, 2017 em 21:27
    Permalink

    Eu gostei muito das duas técnicas do modo difuso e focado eu estou aprendendo muito porque quando estudamos o dia todo sem usar esses modos não armazenamos nada mas obg por todas as explicações.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *